quinta-feira, 28 de junho de 2007

Os 7 horrores de Portugal

A 7 de Julho vão ser anunciadas, em simultâneo, as novas 7 Maravilhas do Mundo e as 7 Maravilhas de Portugal. Mas Portugal não tem só maravilhas. Também tem horrores. Propomos assim que os nossos leitores votem e escolham os 7 Horrores de Portugal.

A selecção possível

A lista de 58 candidatos a horrores arquitectónicos que o PÚBLICO aqui apresenta foi realizada graças aos contributos de sete especialistas contactados pelo jornal. Esses especialistas foram Ana Vaz Milheiro, crítica de arquitectura do PÚBLICO; Jorge Figueira, crítico de arquitectura do PÚBLICO; Ricardo Carvalho, crítico de arquitectura do PÚBLICO; Manuel Graça Dias, arquitecto e professor universitário; Alexandre Alves Costa, arquitecto e professor universitário; José Sarmento Matos, historiador da arte e olissipógrafo; e Walter Rossa, arquitecto e historiador de arquitectura.

Pediu-se a cada um deles que nos enviasse propostas de edifícios a incluir nesta votação, com vista à elaboração de uma lista comum, que pudesse representar o sentimento (idealmente) de todos os especialistas ou, pelo menos, da maioria deles. Aconteceu, porém, que não foi possível construir uma lista consensual nem de escolha maioritária – o que demonstra a paixão dos sentimentos que questões deste tipo suscitam.

Perante essa impossibilidade, o PÚBLICO decidiu reunir numa lista todos os edifícios indicados por cada um dos especialistas contactados – sem excepção. Pelas razões indicadas acima, é claro que esta lista não pode ser considerada nem uma escolha do grupo de críticos, nem uma escolha de nenhum deles em particular. Há aqui edifícios que foram indicados como candidatos por apenas uma pessoa, outros por mais. Mas sublinha-se que nenhum dos críticos contactados se revê nesta selecção. Apesar disso, o PÚBLICO decidiu avançar para a votação, deixando a última palavra aos leitores. Não existem nesta lista quaisquer edifícios escolhidos pelos jornalistas do PÚBLICO.

É evidente que esta escolha não pretende ter um cariz científico nem representar a escolha da população portuguesa – todos sabemos como funcionam as votações na Internet, que estão sujeitas a manipulações por parte de grupos empenhados. Esta votação tem um carácter lúdico e não visa senão suscitar uma discussão sobre a arquitectura e a qualidade da paisagem urbana e da vida nas nossas cidades.

José Vítor Malheiros

São elas:

1. Sede da Caixa Geral de Depósitos, Lisboa

2. Praça do Martim Moniz, Lisboa

3. Estádio José Alvalade, Lisboa

4. Centro Comercial Colombo, Lisboa

5. Ampliação da Cinemateca Portuguesa, Lisboa

6. Parque dos Príncipes, Lisboa

7. Largo de Algés e viaduto, Algés

8. Edifício das Amoreiras, Lisboa

9. Shopping Cidade do Porto, Porto

10. Arranjo paisagístico em frente à Universidade Católica, Porto

11. Ponte Europa, Coimbra

12. Fórum Coimbra Shopping, Coimbra

13. Edifícios de habitação ao lado do Palácio do Freixo, Gondomar

14. Hotel Eden, Lisboa

15. Torres São Rafael e São Gabriel, Parque das Nações, Lisboa

16. Igreja do Santo Condestável, Lisboa

17. Edifício da Império, Rua Alexandre Herculano, Lisboa

18. Edifício BNU, Av. 5 de Outubro, Lisboa

19. Centros Comerciais da Mouraria, Martim Moniz, Lisboa

20. Centro paroquial e Igreja de S. Francisco de Assis, ao cimo da Calçada das Lajes, Lisboa

21. Sede da MacCann, Amoreiras, Lisboa

22. Basílica de Fátima, Santuário de Fátima, Cova da Iria

23. Centro comercial em frente ao Museu Nacional de Soares dos Reis, Porto

24. Centro Comercial Dallas, Porto

25. Agência da Caixa Geral de Depósitos em Elvas

26. Feira Nova em Chelas, Lisboa

27. Edifício Marconi, Lisboa

28. Torres de Lisboa, Lisboa

29. Estádio Municipal de Leiria

30. Centro Comercial de Ponta Delgada, Açores

31. Hotel Colombo, Santa Maria, Açores

32. Ampliação do Hospital de Santo António, Porto

33. Santuário de S. Bento da Porta Aberta, à entrada da serra do Gerês, Terras de Bouro

34. Praça 1º de Maio, Viana do Castelo

35. Sé de Bragança

36. Torre do Arnado, Coimbra

37. Shopping e Business Centre, Coimbra

38. Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

39. Santuário do Sameiro, Braga

40. Cristo Rei, Almada

41. Santa Luzia, Viana do castelo

42. Praça do Areeiro, Lisboa

43. Oceanário, Lisboa

44. Marina de Vilamoura

45. Estação de Santa Apolónia, Lisboa

46. Arranha-céus de Cassiano Branco, Praça de Londres, Lisboa

47. Conjunto de edifícios na Avenida Sidónio Pais, em frente ao Parque Eduardo VII, Lisboa

48. Capela dos Ossos, Évora

49. Aeroporto da Portela, Lisboa

50. Faixa central do Parque Eduardo VII, Lisboa

51. Balão Panorâmico na baía do Funchal

52. Edifício da Segurança Social (conhecido como "Torre Merdasca), em Aveiro

53. Direcção da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

54. Módulo de Exposições Temporárias e Centro Multimédia da Fortaleza de Sagres

55. Edifício sede da Revigrés, Barrô-Águeda

56. Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro

57. Igreja Matriz de Reguengos de Monsaraz

58. Centro Cívico de Barrô, Águeda

Vote aqui

Via Público

4 comentários:

Marmelete disse...

Eu juntava mais uns elementos à lista de mamarrachos: Praia do Matadouro, Ericeira; Casa dos Bicos (após remodelação); Rocha de Conde de Óbidos, Lisboa; Estádio do Algarve, Faro/Loulé; A8, IP3, IP4 e IP5; Rotunda do Relógio, Lisboa; Cilo Auto de Sta. Catarina, Porto

PixaComXis Produxões disse...

Também falta o meu amigo Tripeirossos na lista

Marlon Brandão disse...

Eu voto no Alvalade Trissomía 21, claro!

Claricinha disse...

Edifício das Amoreiras é o pior!